Buscar

31/10/2021 às 16:02, Atualizado em 31/10/2021 às 13:37

Deputados cobram plano preventivo e reembolso de prejuízos provocados por apagão em MS

Requerimentos, CPI e diversas publicações nas redes sociais fazem parte da rotina dos deputados, que investigam comportamento da CPI

Deputados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul praticamente já fazem coleção de reclamações sobre os serviços prestados pela Energisa. As divulgações indicando má qualidade, altas cobranças e ineficiência se intensificaram após o temporal do dia 15 de outubro. Famílias ficaram por mais de 70 horas sem energia elétrica e amargaram diversos prejuízos.

A concessionária enfrenta também a CPI da Energisa (Comissão Parlamentar de Inquérito) instaurada na Alems, em dezembro de 2019. A Comissão realizou oitivas e tenta periciar relógios para comprovar irregularidades na cobrança. Porém, o periciamento ficou por mais de um ano parado por conta de ação na Justiça pela empresa e, posteriormente, pela pandemia.

CPI da Energisa

O presidente da CPI da Energisa, deputado estadual Felipe Orro (PSDB), cobrou a empresa sobre o número baixo de prestadores de serviços frente ao alto custo. Ele indicou que, apesar de o temporal deste mês ter sido por questão natural, houve ineficiência da concessionária em atender a demanda de forma rápida.

"Teve gente com mais de 60 horas sem energia, pessoas com prejuízos enormes, o comércio e tudo isso em grande parte do Estado. A Energisa alega somente a questão do mau tempo, mas nós estamos cobrando porque se diminuiu o número de funcionários. Houve demissões e hoje tem menos funcionários mesmo aumentando o número de consumidores e o total de consumo no Estado. Tínhamos previsão do vendaval e eles não se preparam", disse Orro.

Em relação à CPI, Orro explica que o laboratório da USP São Carlos teve os trabalhos suspensos por conta da pandemia. Ele aguarda resposta sobre a retomada das perícias em 220 medidores de energia retirados de casas de consumidores de Mato Grosso do Sul. Os relógios foram sorteados entre os reclamantes dos serviços que procuraram a CPI. “O laboratório de engenharia elétrica vai nos dar essa resposta de quando volta o serviço para fazer a perícia."

Ele destaca que pediu verba à Alems para perícia em mais 200 relógios em outro laboratório, ou seja, serão 400 medidores avaliados. A CPI está em andamento e os consumidores que se sentirem lesados devem ir ao Procon-MS para registrar ocorrência ou mesmo na delegacia, para documentar a reclamação. Após isso, os contatos com os deputados devem ser feitos pelo WhatsApp no 3389-6509 ou pelo [email protected] felipeorro.com.br.

Cobrou o governo

O deputado Capitão Contar (PSL), que também é relator da CPI da Energisa, fez indicação solicitando providências quanto à insuficiência de canais de atendimento ao consumidor.

Ele também sugeriu a adoção de um plano preventivo anual de podas de galhos e árvores, além da implantação de um canal de atendimento exclusivo para resolver os problemas relacionados aos prejuízos causados pela falta de energia elétrica.

“A insatisfação dos consumidores com os serviços prestados pela Energisa em Mato Grosso do Sul não é nova, mas com a tempestade ocorrida no Estado ficou comprovado a sua ineficiência. Por isso, estamos pedindo que o Governo faça seu trabalho em cobrar da concessionária o que a Lei de concessão determina. Não podemos ficar reféns de um serviço que não atende o que foi contratado e ainda deixa os consumidores na mão na ocorrência de emergências”, declara Contar.

Ir ao Procon-MS

O deputado Amarildo Cruz (PT) alertou a população que teve eletrodomésticos queimados ou qualquer outro prejuízo. Ele disse que pediu intervenção do Procon para ajudar as famílias atingidas. Além disso, fez requerimento cobrando fiscalização sobre os investimentos que a empresa é obrigada a realizar no Estado.

"Como integrante da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa, não posso deixar de me manifestar sobre essa situação que está causando prejuízo a pequenos comerciantes, a produtores de assentamentos e à população de modo geral".

Pediram respostas

O deputado Lucas de Lima (SD) também fez requerimento à Energisa solicitando respostas e melhoria no atendimento ao consumidor. "A população do MS merece uma melhor prestação de serviço. Entendemos o momento devido ao temporal, mas as pessoas querem respostas. Entrei com requerimentos a Energisa pedindo resposta e mais eficiência."

O deputado Pedro Kemp (PT) também cobrou a apresentação de plano de emergência para situações como a da tempestade.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.