Buscar

07/06/2018 às 16:31, Atualizado em 07/06/2018 às 14:19

Justiça nega pedido de liberdade provisória a cabeleireira que matou vendedor a facadas

A Justiça negou o pedido de liberdade provisória feita pelos os advogados de Joice Espíndola da Silva. A cabeleireira está presa no Presídio Feminino de Três Lagoas, desde o dia 23 de maio deste ano.

O pedido foi indeferido na noite de quarta-feira (6), pelo juiz Rodrigo Pedrini da 1º Vara Criminal da cidade, segundo o site Rádio Caçula. O crime aconteceu no dia 20 de maio, quando Joice desferiu uma facada no peito da vítima.

Joice se apresentou a delegacia quatro dias depois do assassinato e disse em depoimento não ter visto o momento em que esfaqueou Camilo, já que o filho teria entrado na frente.

No mesmo dia a cabeleireira foi levada para o presídio feminino da cidade, após a expedição de um mandado de prisão contra ela.

O crime

O vendedor Camilo de Freitas da Silva, de 28 anos, foi morto a facadas na noite do dia 20 deste mês, quando brigava com sua esposa no trânsito da cidade de Três Lagoas.

Camilo e a esposa discutiam quando uma mulher em uma camionete, que estava acompanhada do filho de 16 anos, flagrou a briga e desceu para defender a vítima do vendedor.

Mãe e filho acabaram brigando com a vítima. E, em determinado momento, a mulher buscou uma faca no carro e acertou um golpe no peito de Camilo, que morreu antes de ser socorrido.

O filho da autora contou à polícia que ainda tentou estancar o sangramento, mas Camilo morreu. O filho da mulher foi liberado logo após prestar depoimento.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.