Buscar

07/09/2019 às 12:05, Atualizado em 06/09/2019 às 16:23

‘PX’, capitão da PM que teve filho executado perde patente por caso de estupro em 2005

Teve declarada a perda da patente e do cargo.

Foi publicado no Diário Oficial do Estado, nesta sexta-feira (6), a perda da patente e do posto do capitão reformado Paulo Roberto Teixeira Xavier. O decreto foi assinado pelo governador Reinaldo Azambuja.

O capitão reformado teve a perda da patente e do cargo sendo colocada na inatividade publicada nesta sexta (6), sem o prejuízo do recebimento de seus proventos. A decisão seria devido a um caso de estupro ocorrido em 2005, em que o capitão seria réu.

Em abril deste ano, o filho do PM, Matheus Coutinho Xavier, foi assassinado com sete tiros de fuzil na cabeça em frente à sua casa, no bairro Miguel Couto, em Campo Grande.

Xavier ainda tentou socorrer o filho saindo com a caminhonete com sinais ligados e buzinando, na tentativa de chegar ao hospital a tempo. Ele avançou sinais e chegou a pedir ajuda a bombeiros que atendiam vítima de atropelamento no cruzamento da Rua 13 de Junho com a Avenida Mato Grosso.

A arma usada na execução era um fuzil AK762 e seria do mesmo calibre usado na execução de Orlando da Silva Fernandes, 41 anos, conhecido como ‘Orlando Bomba e do 1º sargento Ilson Martins Figueiredo, que foi executado a tiros de fuzil e metralhadora, na Avenida Guaicurus, em junho de 2018.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.